Minicontos

Nós

Pois bem. Já que exiges promessas, eu as faço. Todas que quiseres. Ainda sou tão jovem, com toda estrada pela frente, tantos projetos, tantos sonhos. Não importa. Prometo que ficarei contigo. Agora que ele se foi para sempre, te deixando tão jovem, ainda com tantos projetos, tantos sonhos...nada disso te importa? A todas estas questões que ficas a lastimar – do abandono, dos desencantos, das perdas, das ausências, das dores, da velhice que te chegará um dia, sabe Deus quando – para todas estas questões tens minha palavra que estarei junto a ti na tentativa de minimizar o abandono e os desencantos e as perdas e as ausências e as dores e a velhice que te chegará um dia. Um dia.
Mas agora, por misericórdia, mamãe, desata os nós nos meus pulsos.




01/08/2010