artistasgauchos












Desenvolvido por:
msmidia

Literatura

Céu e terra
Celso Sisto


HETZEL, Graziela Bozano. O jogo de amarelinha. Ilustrações de Elisabeth Teixeira. Rio de Janeiro, Manati, 2007. 32 pp.

O mundo está mesmo dividido em pares opostos: em cima, embaixo; na frente, atrás; direita, esquerda... Mas há um “lado” que ninguém vê: o lado de dentro da gente! Sombrio ou luminoso, esse lugar “do meio” é o espaço de ficar sozinho, cada um com seu recheio.

Letícia brinca de amarelinha sob os olhos da madrasta. Pulando de casa em casa, não quer chegar ao Céu, porque lá estão todos os que ela já perdeu: a mãe e seus bichos de estimação. Em meio às lembranças, que vão se esfumaçando no tempo, Letícia vai sentindo as marcas do passado: o vaso de flores, o vestido rosa florido da mãe, as brincadeiras carinhosas das duas, até se acostumar com sua nova condição, vivenciada pela saudade extrema. Mas com o afeto do pai, os cuidados da madrasta (sobretudo na hora da febre!) e as histórias de Siá Ana, a menina acorda para a vida.

O texto é feito de frases curtas, num tom carinhoso e com muitas entrelinhas para serem preenchidas pelo leitor. A história revela-se em seus silêncios, e consegue ser poética, profunda e leve, tudo ao mesmo tempo!

Está lá a zona rural e o que ela tem de melhor: o brincar na rua, e, principalmente, os mistérios da noite, desvendados pela boca dos contadores de histórias, entre as baforadas do cachimbo, com a finalidade de povoar o imaginário popular com seus mais fortes representantes: a mula-sem-cabeça, o menino do pastoreio, a cobra que era princesa. Afinal, o importante é se arrepiar!

As ilustrações bem pequenas (como figurinhas de álbum de colar) deixam muito espaço para o branco da página, como a encher de luz o destino de Letícia. A aquarela completa a transparência da história.

Graziela Bozano Hetzel é autora premiada com o Jabuti e outros prêmios, e costuma escrever sobre temas difíceis com grande sensibilidade e maestria.

Elizabeth Teixeira, ilustradora igualmente premiada, é sempre fiel a seu estilo: o traço infantil, as perspectivas, as sombras e os cortes bonitos e harmônicos.

As duas juntas se completam, em delicadeza e poesia!


26/10/2011

Compartilhe

 

Comentários:

Envie seu comentário

Preencha os campos abaixo.

Nome :
E-mail :
Cidade/UF:
Mensagem:
Verificação: Repita os caracteres "315312" no campo ao lado.
 
  

 

  Celso Sisto

Celso Sisto é escritor, ilustrador, contador de histórias do grupo Morandubetá (RJ), ator, arte-educador, especialista em literatura infantil e juvenil, pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Mestre em Literatura Brasileira, pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Doutor em Teoria da Literatura, pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUC-RS) e crítico literário de várias colunas dedicadas à literatura infantil e juvenil, na mídia impressa e on line.

csisto@hotmail.com
www.celsosisto.com/
twitter.com/celsosisto


Colunas de Celso Sisto:


Os comentários são publicados no portal da forma como foram enviados em respeito
ao usuário, não responsabilizando-se o AG ou o autor pelo teor dos comentários
nem pela sua correção linguística.


Copyright © msmidia.com







Cursos em Porto Alegre

Cursos de Escrita

Cursos para escritores

Confira cursos e oficinas exclusivos feitos especialmente para escritores ou aspirantes a escritores.

Mais informações


Cursos de Escrita

Oficinas literárias

Oficinas de criação literária e escrita criativa em Porto Alegre.

Mais informações

 


Livros em destaque

O Guardião da
Chave Dourada

Airton Ortiz

Fundamentos à prática de revisão de textos

A Fantástica Jornada do Escritor no Brasil

 

compre nossos livros na