artistasgauchos












Desenvolvido por:
msmidia

Política Cultural

A Ofélia dos pampas
Alexandre Vargas

“Chega sempre a hora em que não basta protestar;
após a filosofia, a ação é indispensável”.

Victor Hugo, Os miseráveis.

É clássica a frase dita por Polônio, se referindo a Ofélia, antes do encontro vigiado com Hamlet: “Com um rosto devoto e alguns gestos beatos, açucaramos até o demônio”. Essa idéia polôniana ronda a mente, da nossa Ofélia dos pampas a Secretária de Estado da Cultura Mônica Leal. Ah, dirão alguns, isso é coisa para eruditos. Contudo há hoje no Rio Grande do Sul, uma “miserabilidade” que não tem a ver apenas com a condição financeira. Essa pobreza advém da redução de práticas profissionais na gestão da Secretaria de Cultural do Estado.

A Secretária se impõe no Conselho Estadual de Cultura? De novo? Mais uma vez quer “sugerir” que o Conselho apóie determinados projetos? A Secretária de Cultura Mônica Leal desvela idéias que edificam e que traduzem novas ambiências que procuram ser mais “autoritárias” e menos “democráticas”.

A ingerência com o Conselho Estadual de Cultura coloca-o em risco de banalização e de digestão irrefletida. A ação da Secretária de Estado da Cultura não contribui para que o Conselho de Cultura adquira clareza de princípios, coerência de objetivos e excelência de resultados que deveriam marcar as grandes decisões da nossa vida Cultural.

O governo Yeda Crusius, representado pela gestão da Secretária de Estado da Cultura Mônica Leal, não encontra novos princípios de raciocínio que abram caminhos inovadores e revelem soluções eficazes para o futuro das artes no Rio Grande do Sul. Os problemas que existem na Secretaria do Estado da Cultura não podem ser resolvidos a partir dos modos de raciocínio que deram origem aos mesmos. Nesse contexto a sua gestão mostra-se incapaz de contribuir com a riqueza do pensamento humano sintetizado pelos grandes artistas que compõe a história dos gaúchos.

Carecemos de mais fundamentos que inspirem nossa vida cultural e nos distanciem do amargo sabor da monotonia repetitiva da Secretaria de Estado da Cultura do Rio Grande do Sul. Por isso, cabe bem, romper com o conforto dessa miserabilização. A Cultura, tratada de forma honesta e atraente, pode nos encantar e, desse modo, fazer com que as nossas reflexões sejam robustecidas, o nosso repertório engrandecido e a nossa sensibilidade mais afiada. Outras Secretarias de Estado de Cultura pelo Brasil também assim pensam.


+ confira o fato e as notas oficiais


17/07/2008

Compartilhe

 

Comentários:

Envie seu comentário

Preencha os campos abaixo.

Nome :
E-mail :
Cidade/UF:
Mensagem:
Verificação: Repita os caracteres "260208" no campo ao lado.
 
  

 

  Resenhas

As resenhas pubicadas no portal Artistas Gaúchos são de inteira responsabilidade dos articulistas. Se você deseja enviar um texto, entre em contato com o editor do portal. Não é necessário estar cadastrado no portal para enviar resenhas e a veiculação ou não é uma escolha editorial.

editor@artistasgauchos.com.br


Colunas de Resenhas:


Os comentários são publicados no portal da forma como foram enviados em respeito
ao usuário, não responsabilizando-se o AG ou o autor pelo teor dos comentários
nem pela sua correção linguística.


Copyright © msmidia.com







Cursos em Porto Alegre

Cursos de Escrita

Cursos para escritores

Confira cursos e oficinas exclusivos feitos especialmente para escritores ou aspirantes a escritores.

Mais informações


Cursos de Escrita

Oficinas literárias

Oficinas de criação literária e escrita criativa em Porto Alegre.

Mais informações

 


Livros em destaque

O Guardião da
Chave Dourada

Airton Ortiz

Fundamentos à prática de revisão de textos

A Fantástica Jornada do Escritor no Brasil

 

compre nossos livros na