artistasgauchos












Desenvolvido por:
msmidia

Crítica da Crítica de Arte
Gaby Benedyct


Se por um lado a crítica de arte busca reflexão e posicionamento que acompanhe a complexidade de propostas da arte contemporânea, por outro deixa de se manifestar por pensar demais no que vai dizer e se preservar de declarações de risco.

O resultado desse impasse é que, por um lado a produção de textos de arte no Rio Grande do Sul, especificamente para o grande público, que não possui repertório nos conteúdos da arte, tem deixado de existir e por outro, a produção crítico-literária existente acaba circulando exclusivamente nos circuitos internos ou, no máximo, para simpatizantes já iniciados.

São raras as opiniões especializadas em mídias de acesso popular, que esclareçam sobre a profusão de exposições que se empilham em convites na caixa de e-mail. Em geral, temos um texto de apresentação que visam causar boa impressão na classe artística, mas que nada dizem à quem não freqüenta o circuito interno. Considere-se registro às iluminadas exceções, mas é raro...

Assumo desde já que minhas leituras teóricas são limitadas, mas, ao cumprir formação pela academia, tenho suficientes conhecimentos práticos e teóricos, pra saber que é possível, sim, olharmos uma obra ou exposição e tecermos comentários técnicos, agradavelmente analíticos e inteligíveis sobre obra e artista, que possam realmente divulgar e seduzir o público a se aproximar. E esse público deveria ser bem mais do que os colegas, parentes do artista e os reincidentes freqüentadores de sempre. Quero geólogos, advogados, médicos, dentistas, arquitetos e todo mundo que decora seus escritórios e consultórios com objetos pseudo artísticos industrializados de gosto duvidoso. Imagino que essas pessoas gostariam de ostentar arte em suas paredes/prateleiras, mas parece que a arte não chega até elas...e porque não?

Claro que não quero dizer com isto que se substitua a boa crítica, em linguagem erudita. Seria grande ingenuidade... Pelo contrário, minha idéia é pensar em alternativas para que se preencha uma lacuna que anda fazendo falta para a articulação do sistema de arte, não invalidar o que já existe. Como sempre, não se trata de argumentar contra a academia ou ir contra a crítica, pelo inverso, minha idéia é de complementar para expandir as possibilidades, de criar oportunidades de aplicação de conhecimentos democraticamente em prol do benefício da sociedade, tanto para acadêmicos, quanto para público em geral.

Assim, reivindico a criação de uma nova classe de textos para a arte, exposições e artistas: o Comentarista de Arte.

Na minha poética idealização, o comentarista de arte tem formação universitária especializada – noções teórico-práticas em arte, e capacidade literária-jornalistica de escrever um texto coloquial que aproxime obra/processo-artístico/artista para um maior entendimento/entrosamento com o público.

A diferença do comentarista para o crítico de arte é que o texto do primeiro tem linguagem mais acessível, dirigido ao grande público, sua opinião é de orientação e de informação, o comentarista situa o público, contrária à do crítico que propõe uma linguagem técnica e questões profundas e internas aos conteúdos da arte, tem uma pesquisa própria com grande carga de responsabilidade formal.

Claro que, apesar de coloquial, o comentarista como formador de opinião, não pode ser leviano e deve buscar no conhecimento técnico e crítico, os subsídios para a formulação de seu texto, que não defende questões, apenas às apresenta. Desde já é óbvio presumir que seu texto não irá conseguir, e nem deve pretender, ser isento de escolhas e personalidade, mas que seja tecnicamente bem articulado com os conteúdos da arte. Assim teríamos várias opções e opiniões que diluiriam as atuais hegemonias legitimadas à pasteurização...

Veja bem que não estou falando sobre uma texto superficial e publicitário, nem sobre mediação pedagógica... mas porque não disponibilizar, facilitar o acesso – de forma popular - informações, curiosidades, referências, caminhos e opções sobre obra/artista?

Se houvessem mais textos sobre arte, mais comentários sobre arte, talvez as pessoas perguntassem menos: "...mas o que o artista quer dizer?" (essa pergunta é muito chata, feita o tempo todo, mas coerente como reflexo dessa falta de comunicação...). Falta uma experiência cotidiana com o assunto, que construa uma bagagem cultural mínima com naturalidade e inserida no dia-a-dia. O público em geral muitas vezes adora quando o artista fala. Tem curiosidade sobre arte. Nosso jargão técnico é que muitas vezes o constrange.

Claro que pode-se presumir que será difícil de uma hora pra outra as pessoas se interessarem em ler comentários sobre arte, mas se nos apropriarmos da estratégia de mídia que funciona pela quantidade e insistência, talvez nessa presença cotidiana resida uma gênese para a memória e conhecimento.

Argumento, assim, pela diversidade de informações sobre arte e artistas sem necessariamente ser através de galeria, museu ou biblioteca. Façamos uma campanha por uma coluna específica diária na Zero Hora ou Correio do Povo, ou Jornal do Comércio...ou em todos eles juntos. Insisitir em solicitar que divulgem o site/blog do artista nas entrevistas e coberturas, no tijolinho da agenda no jornal... Vamos negociar um horário específico no rádio, criar blogs que comentem exposições, programas de debate sobre arte postados no youtube , orkut´s de crítica de arte, sites que comentem arte para além de obra, biografia ou questões profundíssimas...pelo contrário, sites que falem de tudo isso mostrando o quanto pode ser divertido e "baladeiro" conhecer sobre este artista ou aquela técnica...

Para dar exemplo, assumo minhas próprias palavras e me arrisco em publicar textos que têm a pretensão de motivar o leitor a seguir em frente por suas próprias pernas até o objeto de arte e quem sabe, se interessar ao ponto de levá-lo pra casa, seja debaixo do braço ou na idéia.

Num próximo texto eliminarei apresentações e vou falar de arte sim...se quiser continuar acompanhando esses comentários, acesse www.azulgaleria.com.br, Menu Artigos.


11/12/2008

Compartilhe

 

Comentários:

Envie seu comentário

Preencha os campos abaixo.

Nome :
E-mail :
Cidade/UF:
Mensagem:
Verificação: Repita os caracteres "150810" no campo ao lado.
 
  

 

  Resenhas

As resenhas pubicadas no portal Artistas Gaúchos são de inteira responsabilidade dos articulistas. Se você deseja enviar um texto, entre em contato com o editor do portal. Não é necessário estar cadastrado no portal para enviar resenhas e a veiculação ou não é uma escolha editorial.

editor@artistasgauchos.com.br


Colunas de Resenhas:


Os comentários são publicados no portal da forma como foram enviados em respeito
ao usuário, não responsabilizando-se o AG ou o autor pelo teor dos comentários
nem pela sua correção linguística.


Copyright © msmidia.com







Cursos em Porto Alegre

Cursos de Escrita

Cursos para escritores

Confira cursos e oficinas exclusivos feitos especialmente para escritores ou aspirantes a escritores.

Mais informações


Cursos de Escrita

Oficinas literárias

Oficinas de criação literária e escrita criativa em Porto Alegre.

Mais informações

 


Livros em destaque

O Guardião da
Chave Dourada

Airton Ortiz

Fundamentos à prática de revisão de textos

A Fantástica Jornada do Escritor no Brasil

 

compre nossos livros na